Como aproveitar ao máximo a luz natural

13/10/2016 - 01h39min - Por Alexandra Duque
COMPARTILHE
FACEBOOK Twitter

Via Portal Photos - Fotos: Rapha Ps / Modelo: Catharina Bellini


Muita gente me pergunta qual flash comprar para ensaios. É uma dúvida recorrente, o pessoal acha que trabalho muito com luz artificial. Se você quer trabalhar com ensaios, provavelmente não terá um assistente para te ajudar em todos eles. Pense só o trabalho de montar tripé, flash, modificador de luz. Só aí vai 10 minutos para fazer uma foto. Em 80% dos meus trabalhos utilizo luz natural. É questão de aproveitar o tempo para extrair o melhor da modelo. Costumo dizer que “aqueço a modelo” com o os primeiros cliques. Se eu ou o meu assistente perde no mínimo 5, 10 minutos para montar a próxima luz, me parece que a modelo esfria, sabe?
Tirando os jobs para revistas, ensaios pessoais são feitos com luz
natural. E agora, vou mostrar à vocês algumas dicas rápidas de como aproveitar o máximo da luz natural.
1) Escolha a qualidade de luz que você deseja obter em suas fotos: dura ou suave.
Para buscar o efeito certo, é necessário que você saiba o que quer. Assim, você pode buscar a luz ideal para seu ensaio. Eu uso geralmente luz difusa, mas não descarto a hipótese de usar luz dura em algumas fotos.
Luz dura: uma luz mais fashion, mais marcada que geralmente funciona com pessoas sem muitas curvas. Ressalta texturas e volumes.
Luz suave: uma luz que não tem sombras muito marcadas, às vezes, nem sombra tem. Esconde texturas de pele estranhas além de tirar volume por preenchimento das sombras.

2) Procure uma janela para fazer alguns retratos.
A janela é um grande octabox à sua disposição. Claro que só se a luz não entrar diretamente pela janela, caso não entre é uma luz difusa incrível que você pode utilizar a seu favor e fazer retratos lindos. Caso a luz bata diretamente tome cuidado para trabalhar com o rosto da modelo a seu favor, como disse anteriormente a luz dura marca muito mais. Caso você queira suavizar de alguma forma essa luz, utilize um rebatedor ou a própria cortina da janela para que a luz fique mais difusa.

3) Atente-se às sombras.
Para conseguir uma luz BEEEEM difusa, fique esperto nas sombras. Pode ser de árvores, de algum telhado, qualquer sombra serve. É importante lembrar que temos bastante luz na sombra. Só que dessa vez, uma luz rebatida de todos os lados, que nos proporciona uma luz muito suave. Quando estou fotografando ao ar livre e não existem sombras tenho duas opções:
Primeira: Aqui em SP tem bastante nuvens, e nuvens = luz difusa.
Segunda: Tenho um rebatedor que é difusor também e utilizo ele em cima da modelo criando um “filtro de luz”.
4) Luzes contras.
As luzes contras são lindas e merecem atenção especial, na minha opinião. Principalmente se estiver no horário mágico, aqueles últimos 30 minutos de luz, sabe? Naquele momento, a luz do sol já não está tão forte e está mais amarelada. Mesmo a luz do sol não estando muito forte como sol a pino, por exemplo, a luz ainda rebate por todos os lados e a luz da sombra fica muito homogênea. Isso significa que você pode posicionar a modelo de costas para o sol, utilizar as luzes rebatidas que iluminam a sombra e ainda colocar um contra lindo (sol) para fazer um flare ou algo do tipo.
Obs: você deve fotometrar na luz que bate na modelo, aquela luz rebatida que ilumina a sombra. Ou trabalhar com as tais das silhuetas.

5) Utilizar o momento mágico para fazer luzes duras também pode ser uma boa opção.
Se você ainda não testou, provavelmente vai se apaixonar pelo item 4 quando pegar o jeito da coisa. Mas calma! Experimente outros recursos como
fotografar com a luz “dura” que o final do dia proporciona também. Você tem 30, 40 minutos antes do sol acabar, não se preocupe, dá pra fazer de tudo um pouquinho.
Você pode ficar de costas para o sol também, iluminando a modelo frontalmente e aproveitando a luz direta do sol. Como o sol está baixo, perdendo “potência”, quase na mesma altura que nós estamos
fotografando, é um momento legal para trabalhar com luz dura sem marcar tanto quanto nos outros horários do dia. É um momento que a luz homogênea preenche as sombras e permite que a luz direta não fique tão dura assim. Nesse momento tudo funciona, inclusive as cores! Fica tudo muito lindo.

6) Procure luzes diferentes.
Você também tem uma opção incrível de procurar a luz que você quer e torna-la mágica. Existem frestas de luzes incríveis para usar a seu favor e fazer algumas fotos diferenciadas. É simples: procure alguma fresta de luz que seja interessante, faça a fotometria nos raios de luzes e voilà. Ah, claro, dirija a modelo a seu favor para que a foto não fique estranha: eu posiciono a modelo de acordo com a luz, deixando a mesma bater nos olhos, no rosto, etc.

Outras Notícias
© 2016 Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Ydeal Tecnologia