Aprenda o que é Studium e Punctun, eles podem ser seus aliados para a fotografia perfeita

14/09/2016 - 02h34min - Por
COMPARTILHE
FACEBOOK Twitter

Studium: informar e comunicar aquilo que se apresenta naturalmente ao espírito: o óbvio (trecho retirado do texto: A noção de punctum de Roland Barthes, uma abertura da imagem?).

Tudo o que é signo pode ser considerado studium, a mulher, a criança, o local em si, os colchões e roupas ao fundo, é tudo que está sendo apresentado de modo explícito.

Muitas vezes não paramos para analisar uma imagem em detalhes, acabamos olhando ela como um todo, analisando somente o óbvio.

O punctun muitas vezes é o detalhe que faz com que a gente se apaixone por determinada foto, ele é menos explicito, evidente, é este “pequeno detalhe” que fascina o olhar.

Em muitos casos o punctun acaba não sendo intencional, mas se torna inevitável.

A imagem acima é triste e tocante, pois pelo contexto conseguimos concluir que se trata de uma mulher com sua filha em um abrigo, abrigos são montados frente a catástrofes, ou seja, essa família provavelmente perdeu tudo o que tinha. 

A fotografia retrata o sofrimento que está ocorrendo em Mariana, a mídia consegue deixar o que já é trágico pior ainda, então quando já estamos sensibilizados o suficiente nos deparamos com uma imagem capaz de abalar qualquer um.

O punctun não é a criança e nem a mãe, mas sim um detalhe, detalhe que choca, o rosto da mulher coberto pela mão, mão que enxuga as lágrimas, forma explícita de representar sofrimento.

Ao abrir a imagem este é o ponto que mais chama atenção, pois além do contexto em si, o ponto principal está localizado praticamente no meio da foto. Não sabemos quais as perdas da pessoa, podem ser perdas materiais assim como a perda de entes queridos, conseguimos reconhecer apenas o sofrimento de forma mais abrangente.

Texto: Gabriel Camillo

Outras Notícias
© 2016 Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Ydeal Tecnologia