Você foi da era analógica? Veja como as fotos eram feitas anos atrás!

12/09/2016 - 01h24min - Por
COMPARTILHE
FACEBOOK Twitter

Com a crescente e incessante evolução tecnológica presente no nosso cotidiano, muitas vezes deixamos de conhecer ou até mesmo usufruir de certas ferramentas que caem em desuso ao passar dos anos. Um grande e significativo avanço foi a forma e a praticidade que temos para capturar imagens, o que antes era um processo lento e meticuloso acabou se transformando em algo instantâneo como mágica. Dependendo da sua idade talvez você nem saiba que anos atrás câmeras digitais não existiam, e quando a começaram a surgir no mercado tinham um preço altíssimo e com uma qualidade muito pobre se comparado ao que temos hoje. Mas, se câmeras digitais não existiam, como é que as pessoas faziam para fotografar?

Foto: Gabriel Camillo

Foto: Gabriel Camillo
O primeiro filme fotográfico foi produzido por George Eastman em 1884. O filme fotográfico é formado por uma base plástica à base de celulose, emulsionada por uma fina camada de gelatina à qual se aderem cristais de sais de prata –haleto de prata– material fotossensível que se sensibiliza com a luz que passa pela lente da câmera fotográfica.

 Ou seja, não existia tela de LCD para você ver as fotos instantaneamente, nada de pixels também! Os responsáveis por formar a imagem eram os grãos de haleto de prata, e eram eles que davam todo o charme do granulado nas imagens antigas. As câmeras analógicas possuem um compartimento traseiro que possibilita abertura, neste local posiciona-se o filme (geralmente vendido em 24 ou 36 poses), após isso fecha-se o compartimento, existem câmeras manuais, nelas é necessário ‘engatilhar’ a câmera a cada foto, além das câmeras automáticas, aonde o processo é todo automatizado. Após efetuar os ajustes necessários (ISO, velocidade...) aperta-se o botão do disparador, no caso das câmeras DSLR (sigla em inglês para digital single-lens reflex, que em uma tradução livre seria "câmera digital de reflexo por uma lente”) o espelho se levanta permitindo assim a passagem de luz, dependendo das regulagens feitas isso leva frações de segundos, tempo suficiente para que o filme fique exposto, e desta forma a luz consegue “gravar” a imagem no filme.


Um dos problemas para os anos analógicos era a impossibilidade de saber se a foto ficou boa! Já pensou você fotografando um evento sem poder ver o resultado instantaneamente? Porém não termina por aí, após todas as poses do filme serem utilizadas é necessário rebobinar o mesmo para que ele volte para o interior da bobina, pois abrir o compartimento e expô-lo a luz mais do que o tempo necessário medido irá destruir todas as fotos já feitas, e para completar, as imagens são gravadas negativas nos filmes.

Quer saber como o filme é retirado da bobina e como as imagens deixam de ser negativas? Quer saber como ocorre o processo de revelação das imagens?

Fique ligado e acompanhe as próximas postagens.

Outras Notícias
© 2016 Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Ydeal Tecnologia